13 de fev de 2009

13 de fevereiro - Protesto contra a indústria de peles da China


Assim como nos anos anteriores, no dia 13 de fevereiro, a China foi alvo de mais um protesto mundial coordenado pela International Anti-Fur Coalition.

A ação ocorreu simultaneamente em mais de 15 países. Em São Paulo , ativistas do Grupo Holocausto Animal e simpatizantes da causa, estiveram reunidos em frente ao consulado da China pelo quarto ano consecutivo.

Mesmo debaixo de chuva, cerca de 50 manifestantes permaneceram por mais de duas horas em frente ao consulado da China, no bairro dos Jardins, em São Paulo portando faixas e cartazes e distribuindo panfletos com fotos e textos sobre as atrocidades cometidas pela indústria chinesa de peles.

Ao longo da manifestação, os ativistas promoveram um apitaço e entoaram palavras de ordem contra a crueldade cometida com os animais daquele país. A manifestação despertou a atenção de alguns veículos de imprensa.

O protesto deste ano contou com a participação de duas ativistas que vieram de Santa Catarina e também de uma ativista da Alemanha.

Não posso deixar de citar a garra das duas ativistas que permaneceram nas gaiolas com pouca roupa, sentindo os efeitos da baixa temperatura e da chuva.

Em nome do grupo, agradeço a todos os voluntários e participantes que protagonizaram mais este ato em prol da defesa dos direitos animais.

Fábio Paiva
coordenador geral

fotos do protesto
http://pets.webshots.com/slideshow/570078976QtgdAB

3 de fev de 2009

4o. Protesto Mundial Antipeles da China


Responsável por 51% da produção mundial de peles, a China é o maior produtor e exportador de peles de animais que continuam vítimas das mais extremistas formas de crueldade. Dezenas de vídeos investigativos comprovam os métodos chocantes de criação, transporte, confinamento e matança dos animais. Entre as espécies utilizadas estão não somente as tradicionais fornecedoras de pele, como a raposa e o guaxinim (racoon), mas também cães e gatos que têm suas peles arrancadas e comercializadas de maneira fraudulenta – como pele de outros animais. Anualmente, mais de dois milhões de cães e gatos são mortos na China para retirada de suas peles. Levando em consideração as outras espécies, mais de 40 milhões de animais são mortos todos os anos para o uso de suas peles.
Apesar dos protestos mundiais, a China não demonstrou até agora nenhuma intenção de acabar com essa barbárie. Enquanto isso não acontecer, nós estaremos convocando pessoas de todas as nações, para que boicotem o turismo e os produtos chineses.
O Grupo Holocausto Animal, representante da International Anti-Fur Coalition no Brasil, convoca seus membros e estende o convite a todos que queiram participar deste ato.
Data: 13 de fevereiro
Local: Rua Estados Unidos, 1071 Jardim América
(em frente ao consulado chinês)
Horário: pontualmente às 10h
Material: o grupo fornecerá o material a ser utilizado (faixas, banners e folhetos)
Traje: Pedimos o comparecimento preferencialmente com roupas pretas.
*O grupo disponibilizará camisetas para a venda.