26 de set de 2007

PROTESTO MUNDIAL ANTI-PELES























É justo matar para vestir?
Vestir-se com peles de animais é imoral e injustificável. A indústria da moda tem ao seu alcance peles sintéticas tão bonitas e até melhores que as peles verdadeiras, em termos de uniformidade e durabilidade. Apesar dos protestos mundiais, alguns estilistas insistem em manter peles naturais em suas coleções.
Por esse motivo, o Grupo “Pelo Fim do Holocausto Animal”, membro da International Anti-Fur Coalition realiza, no dia 3 de novembro (sábado), protesto contra o comércio de peles - realizado simultaneamente em mais 11 países (Israel-Estados Unidos-França-Inglaterra-Chile-Irlanda-Portugal-Bélgica-Espanha-Estônia-Finlândia).
No Brasil, apesar do clima tropical, dezenas de lojas comercializam roupas confeccionadas com peles de animais. Nosso país também ocupa o vergonhoso primeiro lugar na exportação mundial de peles de chinchila, conforme divulgado no site do fabricante.
Confira:
e acompanhe aqui o processo de abate
Apesar de as lojas listadas abaixo estarem apresentando suas coleções primavera/verão 2007/2008, todas comercializaram artigos de peles neste inverno. Saiba quem são:
Nacionais:
Eugenia Fleury, Le Lis Blanc, Fillity, Lita Mortari, Mixed, Parresh, Reinaldo Lourenço, Bob Store, Mixed, Doc Dog, Gloria Coelho, Zion, Lenny, M.Officer, Rosely Alves, Huis Clos, Marie Claire, Lucy in the Sky, Polignanno al Mare, ACSA, Daslu.
Internacionais que estão no Brasil:
Versace, Armani, Dolce & Gabanna, Louis Vuitton, Cristian Dior, Valentino, MaxMara, Mônica Rindi, Gucci, Blumarine, Fendi, Burberry, Vertigo.
Realização:
International Anti-Fur Coalition
3 de Novembro
Local: Av. Brig. Faria Lima, 2232 (em frente ao Shopping Iguatemi)
Horário: 10h

Nenhum comentário: