27 de jul de 2007

CÂMARA DE GÁS























A câmara de gás foi um dos métodos utilizados pelos alemães na II Guerra Mundial para a eliminação em massa de seus prisioneiros nos campos de concentração.
Na grande maioria dos CCZs, o mesmo método bárbaro e cruel é usado para eliminar cães e gatos sadios.
Os animais aguardam a morte por mais de 48 horas. Estão estressados e angustiados pois pressentem que irão morrer.
A morte ocorre de maneira lenta e apavorante durante alguns minutos, através da inalação de gases emitidos por um motor de carro.
Muitos animais saem vivos ainda, não estão mortos, e são abatidos a pauladas.
ISTO NÃO É CONTROLE DE ZOONOSES
ISTO É ASSASSINATO!

25 de jul de 2007

MATA-SE INDISCRIMINADAMENTE


Sob o falso pretexto de prevenir zoonoses, as prefeituras abatem centenas de animais todos os dias sem que nenhum exame ou diagnóstico seja feito em qualquer um deles. Os animais são abatidos simplesmente por existirem. Estima-se que 90% dos animais mortos pelos CCZs estejam saudáveis, isto é, não são portadores de doenças infecto - contagiosas que coloquem em risco a vida humana.
ISTO NÃO É CONTROLE DE ZOONOSES!
ISTO NÃO É EUTANÁSIA!
MATA-SE INDISCRIMINADAMENTE!

24 de jul de 2007

MERCADO DE CÃES PARA CONSUMO NA CORÉIA DO SUL


















Ativistas protestam pelos direitos dos animais em Seul, na Coréia do Sul, onde há o costume de se comer cachorros.

14 de jul de 2007

LIVRE ARBÍTRIO























Todos os anos, milhões de animais são mortos em testes de laboratório para que determinado produto seja disponibilizado aos consumidores. Esses animais são desnecessariamente queimados, envenenados, eletrocutados, afogados, privados de sua alimentação e comportamento natural e forçados a ingerir substâncias tóxicas.
A sua compaixão pelos animais é o início de uma mudança necessária.
NÃO compre produtos testados em animais.

9 de jul de 2007

DEPOIMENTO DE UM MÉDICO


"Eu comprei dois chimpanzés machos de uma fazenda de criação na Holanda. Eles viveram em jaulas separadas, uma perto da outra, por muitos meses, até que usei um deles como doador (de coração). Quando nós o sacrificamos em sua jaula, em preparação para a cirurgia, ele gritava e chorava incessantemente. Não achamos o fato significante, mas isso deve ter causado grande trauma no seu companheiro, pois quando removemos o corpo para a sala de operação, o outro chimpanzé chorava copiosamente e ficou inconsolável por dias. Esse incidente me tocou profundamente. Eu jurei nunca mais fazer experimentos em criaturas tão sensíveis." (Dr.Christian Barnard, médico responsável pelo primeiro transplante de coração em humanos.)

8 de jul de 2007

APESAR DOS PROTESTOS...

















A modelo Cassia Ávila posa para a coluna com casaco de pele de raposa da marca italiana Monica Rindi, à venda por R$ 18.980
Coisa de pele
Mônica Bergamo - bergamo@folhasp.com.br
Há pouco mais de um mês, contêineres com peças feitas de pele de animais, que deveriam abastecer a Daslu, ficaram parados em navios na Europa. O motivo foi a greve do Ibama no Brasil. Sem fiscais para liberar o certificado exigido para a venda dos produtos, eles não podiam entrar no país. Para não deixar os cabides pelados, a loja levou seu estoque às prateleiras. Mesmo num país como o Brasil, onde as médias de temperatura estão longe de convidar ao uso de roupas quentes, os casacos têm seu público. "A pele ainda é um símbolo de luxo", diz a consultora Gloria Kalil. "Hoje os animais são criados para o uso da pele e se respeitam regras para a produção. Não há mais mortes cruéis. É como criar uma vaca ou galinha: você mata para consumo."
A maior parte das consumidoras, afirmam representantes de grandes grifes, compram e usam seus casacos de pele no exterior. Assim, as lojas oferecem poucos produtos -e caros. As irmãs Renata e Fernanda Boghosian, que representam Versace e Cavalli no Brasil, por exemplo, trazem no máximo duas peças por ano ao país. E elas podem custar até R$ 30 mil. O modelo de pele de raposa da marca italiana Monica Rindi está à venda por R$ 18.980 na Daslu. A jaqueta Matthew Williamson de pele preta de coelho custa R$ 4.480. O casaco de pele de coelho da Mixed sai por R$ 6.750,00. O casaco da Pollignanno Al'Mare, de pele de ovelha com gola de raposa, custa R$ 3.300.
"Nossos clientes são super AA. Estão sempre indo para a Europa e EUA. É quando usam as peles", diz Fernanda Kujawski, gerente de marketing da grife. A maior parte dos casacos não entra nas liqüidações do mês de julho. Uma das raras exceções ocorre nas araras da Mixed, que trouxe 70 peças da Itália. A loja está em liquidação progressiva e quem comprar quatro peças pode ter desconto de até 50%.
Nada parecido com o que acontece nos EUA ou em países europeus, onde um casaco de marta custa U$ 150 mil. Nos anos 90, um casaco feito com pele de barriga de lince russa foi vendido por U$ 250 mil, registra o site Furs.com. De acordo com a International Fur Trade Federation, que reúne produtores e distribuidores de peles, há oito anos o setor cresce: os consumidores levaram para seus armários U$ 13,49 bilhões em peles em 2006 -em 2000, foram U$ 9 bilhões.
Segundo organizações de proteção aos animais, para a confecção de um casaco de pele de marta são mortos de 40 a 60 animais. Para um casaco de pele de chinchila são sacrificados até 200 bichos da espécie. A organização ambiental PETA e a estilista Stella McCartney, que combate o uso de peles na moda, comandará no dia 12 o primeiro protesto virtual contra o produto, dentro do jogo Second Life. Mas, mesmo com os protestos dos ambientalistas, de ampla repercussão, dificilmente uma grande marca não exibe peles em suas criações.Burberry, Cavalli, Marc Jacobs, Michael Kors, Julien Macdonald, Prada e Louis Vuitton são exemplos. No ano passado, Jean Paul Gaultier colocou na passarela uma modelo com um casaco com diversas cabeças de raposa penduradas.
No Brasil, poucas usuárias de pele se animam a falar sobre o assunto, alegando temer a "represália" de ambientalistas. No ano passado, a atriz Íris Bruzzi se viu no centro do furacão ao dizer que não estava "nem aí se mataram o bichinho". "Tive tanto aborrecimento que vendi meus dois casacos para uma amiga americana", diz. A socialite Beth Szafir é exceção. "No Brasil, uso no máximo xale com pele na gola. Tenho um casaco Dior maravilhoso, mas só uso para viajar", diz. "Ninguém dá muita bola [para os ambientalistas]. Todo mundo usa."

ROTINA DE UM CCZ























Caçado nas ruas como um marginal
Sente medo, solidão, fome, sede e dor
Implora carinho, comida
Implora pela própria vida
Capturado pelo CCZ
Se não for adotado
Será assassinado do 3o. dia

Esse é o destino de milhares de cães que perambulam pelas ruas das grandes metrópoles.
Sob o disfarçe de "eutanásia", assassinatos legalizados são praticados todos os dias nos CCZs.
Somente na Cidade de S.Paulo, entre 30 e 50 cães sadios são mortos todos os dias.

PELO FIM DA MATANÇA DE ANIMAIS SADIOS NOS CCZs

5 de jul de 2007

CCZ - AQUI A VIDA TERMINA























CCZ = Lugar onde o ASSASSINATO LEGALIZADO é praticado sob o nome de eutanásia.

EUTANÁSIA = procedimento que antecipa a morte de um doente incurável, para lhe evitar o prolongamento do sofrimento e da dor;

Óbviamente não é isso que ocorre num CCZ

PELO FIM DA MATANÇA DE ANIMAIS SADIOS NOS CCZs

2 de jul de 2007

MASSACRE DE CÃES CORÉIA DO SUL E CHINA

BOICOTE OS JOGOS OLÍMPICOS DE PEQUIM






















INTERNATIONAL ANTI-FUR COALITION
Seremos a Voz de milhões de cães, gatos e outros animais que são esfolados vivos na China para a retirada de suas peles.
Não podemos deixar que o passado se repita. Vamos aproveitar a chance para provar que não vamos mais ficar em silêncio novamente.
Por duas semanas em agôsto de 1936, a ditadura nazista de Hitler camuflou seu racismo e caráter militarista enquanto sediava as olimpíadas de verão. Implantando aos poucos sua pauta e planos anti-semitas para expansão territorial, o regime explorou os jogos para deslumbrar muitos espectadores e jornalistas estrangeiros com uma imagem de uma Alemanha pacífica e tolerante.
Tendo rejeitado a proposta de boicote das olimpíadas de 36, os Estados Unidos e outras democracias do ocidente perderam a oportunidade de tomar uma posição - alguns observadores da época pediram - de forma que deram uma pausa e apoiaram a resistência internacional à tirania nazista.
Com a conclusão dos jogos, a politica expansionista da Alemanha e a perseguição dos judeus e outros inimigos do estado aceleraram, culminando na 2ª guerra mundial.
Vamos nos unir ao esforço global para por um fim a todos os abusos cometidos contra os animais daquele país.
BOICOTE OS PRODUTOS CHINESES
BOICOTE AS OLIMPÍADAS DE 2008 EM PEQUIM


1 de jul de 2007

THE ANIMALS FILM




















For the first time on DVD the controversial classic film shockingly relevant to today
Said Alan Brien of THE SUNDAY TIMES (UK)
"The most impressive film maudit, possibly too hot to handle, is Victor Schonfeld's The Animals Film, a polemical onslaught, stuffed with footage never before shown, and a wealth of newly-shot material often taken undercover, which documents...mankind's degradation, exploitation, and often pointless torture, of the creatures who share our planet.He proves, beyond contradiction, that this behaviour is not just random or personal but part of our organised society, with drug companies, government departments, scientists, military authorities, factory farmers, university research laboratories, for their own selfish ends, for profit in money or prestige.I do not know when I have come out of a screening so moved by the power of the cinema as a medium to transform the entire sensibility of an audience.
ASSISTA O TRAILER EM: