7 de ago de 2006








Barbárie.......
Caos...........
Supressão de direitos fundamentais........


Essas são algumas das formas pelas quais gostaríamos de nos manifestar sobre o episódio divulgado, no qual foi confirmado que uma província da China ordenou a MATANÇA de incontáveis animais domésticos... .

E tudo isso, protegido pelo manto da "soberania", que faz com que nossas leis protetivas não possam ser aplicadas lá! Às organizações nacionais como a nossa cabem a manifestação e encaminhamento a âmbito mundial de nosso sentimento de repúdio, convocando os protetores a refletir sobre um problema que é maior do que transparece!!!

A raiva, amigos protetores, é facilmente evitada com a simples aplicação de vacina que impede a manifestação ou surgimento da doença. Isso sim é agir inteligentemente: PREVENIR! É por essa razão dentre outras razões que continuamos a sustentar que a solução aos problemas de abandono é a esterilização em massa de animais.

O que mais nos entristece não é a mera notícia veiculada, mas sim saber que há poucos meses, foram realizadas passeatas públicas no mundo inteiro, com participação da AILA, contra a utilização de peles, fato este comum na China. Isso ensejou inclusive reuniões com representantes do país a fim de serem entregues cartas públicas repudiando o fato e demonstrando o que se objetivava com a manifestação.

Todavia, eis o resultado........ nada foi feito no país naquele momento, o assunto deu-se por encerrado, o "festival de peles" na China continua com a eliminação maciça de animais silvestres e agora temos mais essa notícia dos cães trucidados nas ruas, a base de pauladas e marretadas.

Será este um país que merece respeito ou oportunidades em nosso país? O tal "gigante crescente" não passaria de um mero país superpopuloso que explora crianças e animais, reprimindo todas as proteções, sejam a título de direitos fundamentais de seus cidadãos e do meio ambiente, tudo em conta do LUCRO?

Pensem a respeito disso quando depararem-se com o comum dilema urbano: o produto X custa R$ 100, mas o Y, proveniente da China, custa R$ 10. Se vocês analisarem para onde vão esses R$ 10, hão de cogitar que o ficanciamento dos instrumentos utilizados na matança dos cães foi indiretamente aquele sobre o qual você "economizou" seu dinheiro.

Pouco nos importa que o fato ocorreu em mera província da China, pois tal espelha a linha de conduta do país e nada foi feito pelos governantes locais e nacionais para obstar a política adotada. Diante de tal, perdem credibilidade desde já as palavras, gestos e promessas do governo chinês a nós, já que ficou mais do que evidente que o respeito às pessoas e aos animais é algo a ser aprendido pelo Governo chinês. E infelizmente, sabemos que a cultura milenar oriental não defende essas políticas bárbaras, sendo verdadeira OPÇÃO do governo chinês promover isso!

Repensemos sim o que consideramos como certo e errado na hora de comprar e a procedência de produtos, pois não bastasse a contradição do crescimento ignorante adotado pela China, não nos juntemos a essa aberração: proteger aqui os animais, custeando a matança fora de nossos olhos!

Lastimável, para não se dizer sofrível no que cremos ser o atual estágio da evolução humana. (ou ao menos, a parte dela)!


ALIANÇA INTERNACIONAL DO ANIMAL

http://www.aila.org.br/

Nenhum comentário: