31 de ago de 2006

QUEM SABE AGORA, NOSSOS PARLAMENTARES ABRAM OS OLHOS PARA ESTA REALIDADE




WSPA inaugura exposição "Animais em Foco" em Brasília
28/08/2006

Teve início na última segunda (28), em Brasília, a mostra de fotografias "Animais em Foco", organizada pela Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA - World Society for the Protectioin of Animals). A exposição, montada em junho deste ano, já passou por países europeus e mostra o que há de melhor e de pior no tratamento dispensado pelo homem aos animais, em diversas regiões do mundo. Segundo a organização, o objetivo da mostra é fazer "um chamamento ao governo e à sociedade para as questões da sustentabilidade do meio ambiente, da utilização dos animais pelos humanos e do entendimento de que os animais são seres sencientes, providos de sensações e consciência". A exposição convida o público a assinar uma petição a favor da Declaração Universal de Bem-Estar Animal. A WSPA pretende conseguir 10 milhões de assinaturas em todo o mundo e enviar o abaixo-assinado à Organização das Nações Unidas (ONU). A declaração reconhece os animais como seres sencientes - capazes de sentir dor e sofrer e que, portanto, devem ter seus interesses considerados. A petição também pode ser acessada pela Internet (em inglês). O trabalho da WSPA no Brasil pode ser conferido no endereço www.wspabrasil.org. A mostra "Animais em Foco" fica aberta ao público até o dia 14 de setembro, no hall de entrada do Senado Federal.

27 de ago de 2006

SOS PROJETO MUCKY















VÍTIMAS DO TRÁFICO DE ANIMAIS, OS SAGUÍS SÃO ACOLHIDOS E TRATADOS PELO PROJETO MUCKY, QUE PASSA POR SÉRIAS DIFICULDADES FINANCEIRAS.
VAMOS AJUDAR ESTA ONG A DAR CONTINUIDADE AO MARAVILHOSO TRABALHO QUE VEM REALIZANDO.
ACESSE:
http://www.projetomucky.com.br/
DEPOSITE QUALQUER QUANTIA:
Banco Bradesco Ag. 0627-0 C/C 57633-6
cnpj 01.943.493/0001-66

26 de ago de 2006

LIBERTAR OS ANIMAIS



Libertar os animais, reumanizar a vida
Enxergar nas outras espécies seres que sentem e sofrem é um enorme passo para que o ser humano se livre das brutalidades que comete contra si mesmo
Um meio-sorriso irônico – parte condescendência, parte desdém – ainda predomina, em alguns ambientes, diante do discurso em favor dos direitos dos animais. Ele soa frívolo, a certos ouvidos: é como se sustentá-lo fosse sinal de futilidade ou escapismo, num mundo em que milhões de crianças passam fome ou padecem nas guerras.
Professor de Direito na Universidade de Rutgers (Nova Jersey), o norte-americano Gary Francione tem uma resposta para esta postura de descaso. Ele sugere, no Manifesto pela Libertação dos Animais, texto que integra a edição de setembro do Le Monde Diplomatique-Brasil, que o massacre dos animais é também um ato do ser humano contra si próprio. Nós o praticamos porque estamos mergulhados em relações sociais que nos cegam. Enxergar nas outras espécies seres que sentem e sofrem é um enorme passo para nos livrarmos das brutalidades que cometemos entre nós mesmos.
O argumento de Francione é original porque, num aparente paradoxo, associa defesa dos animais a humanismo. Ele não nega o direito da espécie humana a lutar, como todas as outras, por seus “interesses vitais”. Mas demonstra que, na etapa atual de nosso desenvolvimento, continuar confinando, torturando e massacrando outros seres não tem nenhum laço com nossa sobrevivência ou bem-estar – mas com nossa submissão à lógica da propriedade e da mercantilização.
Sim, sustenta o Manifesto: assim como ocorria com os escravos, há três séculos, os animais são considerados mercadorias. E uma sociedade em que a regra essencial de sucesso é a posse de bens materiais torna-se indiferente tanto à crueldade quanto à irracionalidade do massacre. Mais de 8 bilhões de animais são mortos todos os anos (16 mil por minuto), só nos Estados Unidos – o maior consumidor. Na condição de coisas, eles devem ser tão rentáveis quanto possível. Por isso, são confinados, do nascimento ao sacrifício, em celas exíguas, onde muitas vezes os únicos movimentos possíveis são respirar, comer e digerir. Sua execução ocorre quase sempre "em dor e aos gritos, em ambientes fétidos". Quando destinados a experimentos industriais (em testes de cosméticos, por exemplo), sofrem, vivos, amputações e queimaduras químicas em série. Nas universidades, são freqüentemente utilizados sem necessidade, para “experimentos” repetidos e de resultado óbvio, que poderiam perfeitamente ser substituídos por recursos audiovisuais.
Não precisamos deles para nosso sustento. Ao contrário, mostra Francione: sua criação industrial consome recursos que fazem falta a outros seres humanos e é uma ameaça ao ambiente. “Para cada quilo de proteína fornecida, o animal deve consumir cerca de 6 quilos de proteínas vegetais e forragem; e produzir um quilo de carne exige mais de 100 mil litros de água – enquanto a produção de um quilo de trigo não chega a exigir 900 litros”.
Uma causa que se difunde e obtém vitórias
A indústria da carne animal apóia-se, é claro, num hábito atávico da humanidade. Mas, como tantos outros, ele poderia ser alterado aos poucos, por meio de recursos como a sensibilização e a pesquisa científica voltada para produzir alimentos que imitassem o sabor da carne. No entanto, a mercantilização é um enorme obstáculo, como mostra o Manifesto: “O ’sofrimento’ dos proprietários, por não poder usufruir da ’propriedade’ a seu bel-prazer conta mais do que a dor do animal. (...) Os industriais da carne avaliam que as práticas de mutilar animais, sejam quais forem a dor e o sofrimento suportados por eles, são normais e necessárias. Os tribunais presumem que os proprietários não infligirão intencionalmente atos de crueldade inútil, que diminuiriam o valor monetário do animal”.
Felizmente, as últimas décadas têm sido marcadas pela difusão dos movimentos e organizações que combatem a mercantilização do mundo dedicando-se aos direitos dos animais. Atuam em múltiplas frentes: a defesa das espécies silvestres, a luta contra a caça, a denúncia da experimentação “científica” desnecessária, o combate contra maus-tratos impostos aos bichos domesticados, o resgate dos que são abandonados por seus “donos”. Le Monde Diplomatique tem acompanhado algumas destas ações. Em agosto de 2004, uma reportagem focalizou a Grã-Bretanha – onde tem havido vitórias importantes e onde certos grupos, em nome dos bichos, desafiam leis e agem na clandestinidade. Em agosto de 2002, destacamos o esforço para proteger os elefantes, ameaçados pelo comércio clandestino de marfim. Junto com o ativismo, têm se multiplicado, especialmente na internet, as fontes alternativas de informação sobre o tema.
http://www.animal-law.org/
Nenhuma grande causa merece ser transformada num fundamentalismo. Se você ainda é carnívoro, deleite-se com seu churrasco, neste fim de semana. Considere a hipótese de substituí-lo por prazeres, digamos, mais humanos... Acompanhe e participe das ações que combatem todos os tipos de maus-tratos. E repare: você tem agora mais um motivo para continuar construindo relações sociais que, livres da ditadura da mercadoria, nos permitam enxergar e enfrentar a crueldade.
Nosso dossiê
No Le Monde Diplomatique-Brasil:
Manifesto pela Libertação dos Animais, de Gary Francione
Os guerrilheiros da causa animal, Cédric Gouverneur, agosto de 2004
Salvemos os elefantes, Hubert Reeves, agosto 2002
Entrevistas (em inglês) com Gary Francione: Animal Liberation (Austrália) e no
Friends of Animals (EUA). Veja também o site do autor (em inglês).

PRISIONEIROS DO ESPECISMO

CONDENADOS POR DEFENDER OS DIREITOS DOS ANIMAIS

b


SHAC 7 , um grupo de ativistas, de heróis, está sendo julgado e condenado há anos de prisão, por defenderem os direitos dos animais !!!
SHAC : Stop Huntingdon Animal Cruelty
Vamos mandar mensagens de apoio, de apreço, de força, de consideração....
Saiba mais sobre o SHAC:
http://www.shac7.com/

VAMOS MANDAR E-MAILS DE APOIO E SOLIDARIEDADE AOS PRISIONEIROS:

Kevin Kjonaas
lettersforkevin@shac7.com
Lauren Gazzola
lettersforlauren@shac7.com
Joshua Harper
lettersforjosh@shac7.com
Jacob Conroy
lettersforjake@shac7.com
Darius Fulmer
lettersfordari@shac7.com
Andrew Stepanian
lettersforandy@shac7.com

O HOMEM É O CEMITÉRIO DOS ANIMAIS

24 de ago de 2006

O EFEITO CHINA (AQUI TAMBÉM TEMOS A NOSSA CHINA)























MATO GROSSO DO SUL IMITANDO A CHINA
A matéria publicada no Correio do Estado, no dia 21, que relata a morte de 2.100 a 2.400 cães por mês devido à falta de kits para o diagnóstico da leishmaniose em nossa capital, reduzindo a população canina em cerca de 30 a 40%, causou espécie ao movimento ambiental e de bem-estar animal de todo o Brasil.
Essa desfaçatez torna evidente que, por não saberem se estão, ou não, infectados pela doença, animais saudáveis também estão sendo MORTOS por pura incompetência administrativa, contrariando o Decreto Federal nº. 24.645/34, que estabelece medidas de Proteção aos Animais, no art. 1º. que dispõe que "Todos os animais existentes são tutelados ao Estado" e no Art. 13 que rege que "As penas desta Lei aplicar-se-ão a todo aquele que infligir maus tratos ou eliminar um animal, sem provar que foi por este acometido ou que se trata de animal feroz ou atacado de moléstia perigosa".
Para agravar a situação, em torno de 70 a 80 animais mortos por dia são jogados no lixão da Capital. No "lixão a céu aberto"?! É isto mesmo... No "lixão a céu aberto", ferindo frontalmente nossa legislação ambiental e colocando em risco dezenas de famílias que retiram dali o sustento sem nenhum tipo de proteção! É realmente lamentável constatar que aquele que deveria tutelar a vida animal, zelar pela vida humana e pelo meio ambiente é o primeiro a desrespeitar as regras.
O que chama atenção é que essa política de matança de animais não está surtindo efeito, visto que observamos o aumento número de óbitos humanos na capital nos últimos anos: foram 15 mortes confirmadas em 2004, 19 em 2005 e 13 somente nos sete primeiros meses deste ano, conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde. Assim, notamos que, há muito tempo, a leishmaniose deixou de ser um problema apenas dos animais, haja vista que já ceifou, até agora, 149 vidas humanas no Estado desde 2002.
Tamanho descaso das autoridades da saúde em Mato Grosso do Sul é deveras preocupante, em face deste polêmico assunto ser debatido e denunciado há tempos, e mesmo assim nenhuma providência séria e responsável foi tomada além da matança sistemática e indiscriminada de cães, vista como única solução.
O Abrigo dos Bichos, entidade de proteção animal, tem recebido uma avalanche de repúdio à precária situação que passam os animais sul-mato-grossenses, oriunda de todas as partes do País, exigindo que políticas adequadas relacionadas ao controle populacional de animais e, conseqüente, resolução do problema, sejam adotadas.
Enquanto isso, a Lei nº. 2.990, que institui a Posse Responsável no Estado de Mato Grosso do Sul, aprovada em maio de 2005 e que contou com a colaboração direta do Abrigo dos Bichos em sua elaboração, proíbe terminantemente a matança de animais saudáveis e prevê o Conselho Estadual de Bem-Estar Animal, encontra séria resistência por parte do Poder Executivo Estadual para regulamentá-la assim como também a Lei Complementar nº. 79 (Lei do Cão), aprovada em novembro de 2005, em nível municipal.
Lamentável, senhores governador do Estado de Mato Grosso do Sul e prefeito de Campo Grande!!!
O Abrigo dos Bichos lutou e continua lutando incansavelmente pela regulamentação da citada lei para que a sociedade sul-mato-grossense possa discutir de forma inédita o tratamento dispensado aos animais e a segurança da população. Ainda estamos esperando!!!
Com a palavra, o Ministério Público.

Maria Lúcia Costa Metello

Médica Veterinária, Advogada, Presidente da Sociedade de Proteção e Bem-Estar Animal Abrigo dos Bichos
Campo Grande, MS


Temos que protestar para fazer valer as LEIS vigentes de nosso País.

Chega de impunidade!

NÃO À MATANÇA,
LEI - MORAL - ÉTICA JÁ !


E-mails para protestar contra o MASSACRE DE CÃES EM MATO GROSSO DO SUL:

Promotoria de Justiça do Meio Ambiente de Campo Grande
Promotora de Justiça Christiane de Alencar -
meioambiente.cgr@mp.ms.gov.br
- Governador de MS (PT) - José Orcírio Miranda dos Santos - gabgov@net.ms.gov.br
- Secretário Estadual de Saúde - Matias Gonsales Soares - gabinete@saude.ms.gov.br
- Prefeito de Campo Grande (PMDB) - Nélson Trad Filho - gapre@pmcg.ms.gov.br
- Secretário Municipal de Saúde - Luiz Henrique Mandetta -
gabsesau@pmcg.ms.gov.br
- Ministério da Saúde - portal.saude@saude.gov.br

- Senador Ramez Tebet (PMDB) -
ramez@senador.gov.br
- Senador Juvêncio César da Fonseca (PSDB) - juvencio.fonseca@senador.gov.br
- Senador Antônio João (PTB) - antonio.joao@senador.gov.br (dono do JORNAL CORREIO DO ESTADO)

- Deputado Estadual Londres Machado (PL) -
londresmachado@londresmachado.com.br
- Deputado Estadual Ary Rigo (PDT) - aryrigo@terra.com.br
- Deputada Estadual Bela Barros (PDT) -
deputadabelabarros@terra.com.br
- Deputada Estadual Celina Jallad (PMDB) - celinamj@terra.com.br
- Deputado Estadual Akira Otsubo (PMDB) - akiraotsubo@terra.com.br
- Deputado Estadual Antônio Carlos Arroyo (PL) - acarroyo@terra.com.br
- Deputado Estadual Semy Ferraz (PT) - falecom@semyferraz.com.br
- Deputado Estadula Ari Artusi (PMDB) -
ariartuzi@uol.com.br
- Deputado Estadual Loester Nunes (PDT) - drloester@hotmail.com
- Deputado Estadual Humberto Teixeira (PDT) - dephumbertoteixeira@alanet.com.br
- Deputado Estadual Jérson Domingos (PMDB) - depjerson@terra.com.br
- Deputado Estadual Maurício Picarelli - mpl@terra.com.br
- Deputado Estadual Onevan de Matos (PDT) onevan.matos@bol.com.br
- Deputado Estadual Pastor Barbosa (PMDB) - pastorbarbosa@terra.com.br
- Deputado Estadual Paulo Corrêa (PL) - deppaulocorrea@terra.com.br
- Deputado Estadual Pedro Kemp (PT) - pkemp@terra.com.br
- Deputado Estadual Pedro Teruel (PT) - pteruel@terra.com.br
- Deputado Estadual Roberto Orro (PDT) - robertoorro@terra.com.br
- Deputado Estadual Sérgio Assis (PSB) - sergioassis@sergioassis.com.br
- Deputado Estadual Waldir Neves (PSDB) - wnbms@terra.com.br
- Deputado Estadual Zé Teixeira (PFL) - zeteixeira@terra.com.br
- Deputado Estadual Raul Freixes (PTB) - raulfreixes@hotmail.com
- Deputado Estadual Valdenir Machado (PRTB) - dep.valdenirmachado@al.ms.gov.br

- Vereador Ribeiro (PRTB) -
ribeiroafera@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Paulo Siufi (PRTB) - paulosiufi@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Carlos Marun (PMDB) - marun@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Marcelo Bluma (PV) - marcelobluma@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Jorge Martins (PDT) - jorgemartins@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Edmar Neto (PSDB) - edmarneto@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Cristóvão Silveira (PSDB) - silveira@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Cabo Almi (PT) - caboalmi@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Alex do PT - alexdopt@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Katatal (PT) - katatal@camaraonline.ms.gov.br- Vereador Airton Saraiva (PFL) - airtonsaraiva@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Youssif Domingos (PMDB) - gapre@camaraonline.ms.gov.br
- Vereadro Thais Helena (PT) - thaishelena@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Alcides Bernal (PSL) - alcidesbernal@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Athayde Nery (PPS) - athayde@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Celso Ianaze (PMDB) - celsoianaze@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Edil Albuquerque (PMDB) - edil@camaraonline.ms.gov.br
- Vereadora Grazielle Machado (PL) - grazielle@camaraonline.ms.gov.br
- Vereadora Magali Picarelli (PTB) - mpl@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Marquinhos Trad (PMDB) - marquinhostrad@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Pastor Sérgio (PMDB) - pastorsergio@camaraonline.ms.gov.br
- Vereador Professor Rinaldo (PT do B) - profrinaldo@camaraonline.ms.gov.br

19 de ago de 2006























Para se fazer um casaco de peles de tamanho médio, é necessário:
Lives Taken for Fashion
Number of animals used to make an average-length fur coat:

125 arminhos ou

100 chinchilas ou
70 martas-zibelinas ou
50 martas canadianas ou
30 ratos almiscarados ou
30 sariguéias ou
30 coelhos ou
27 guaxinins ou
17 texugos ou
14 lontras ou
11 raposas douradas ou
11 linces ou
9 castores

E APENAS 1 IMBECIL PARA USÁ-LO





















BOYCOTT CHINA FOR ANIMAL CRUELTY
O GOVERNO CHINÊS PREFERE ACABAR COM A "RAIVA" MATANDO AO INVÉS DE VACINAR
BOICOTE TOTAL À CHINA
ESCREVA PROTESTANDO PARA:

1. Sra. Li Jiaoyun
Cônsul Geral da República Popular da China em São Paulo
consuladodachina@terra.com.br

2. Sr.Jiang Yuande
Embaixador Geral da Republica Popular da China no Brasil
chinaemb_br@mfa.gov.cn

3. Sr. Li Zhongliang
Cônsul Geral da Republica Popular da China no Rio de Janeiro
chinaconsul_rj_br@mfa.gov.cn

18 de ago de 2006

















FIM DOS TEMPOS!!!
A DEGRADAÇÃO TOTAL E IRREVERSÍVEL DA RAÇA HUMANA

18/08/2006 - 12h10Britânica dança com porco morto e enfurece ativistas

LONDRES (Reuters) - Ativistas de direitos dos animais descreveram como "doentia" a performance artística envolvendo uma mulher nua embalando um porco morto durante quatro horas.
O show de Kira O'Reilly, chamada "Inthewrongplaceness", será apresentado na galeria de arte Newlyn, em Penzance, sudoeste da Inglaterra, na sexta-feira.
James Green, diretor da galeria, defendeu a apresentação, dizendo que a audiência seria controlada, com uma pessoa entrando por vez para assisti-la, durante 10 minutos cada.
"Com relação ao ponto de vista da galeria, sentimos realmente que deveríamos fornecer ao público do local a oportunidade de ver esse tipo de trabalho, que só pode ser experimentado em Londres", disse ele à Reuters.
Ele acrescentou que a galeria "não havia recebido nenhuma reclamação direta" sobre o show, uma das várias apresentações que fazem parte do programa Tract de arte ao vivo.
Mas uma porta-voz da organização Pessoas em Defesa do Tratamento Ético dos Animais (Peta, na sigla em inglês), chamou a performance de "doentia".
"Como a senhorita O'Reilly parece depender do choque de usar um porco assassinado como acessório, talvez a falta de talento para atuar como uma artista respeitável possa sugerir que ela deveria arrumar um emprego diário em vez disso, para pagar as contas", declarou ela.
"Crueldade não é entretenimento".
No website da galeria (
www.newlynartgallery.co.uk), O'Reilly chama a performance de "uma dança lenta e esmagadora com um porco, para um pessoa por vez".
"O trabalho me deixou com uma tendência à porquice, fantasias inesperadas de fusão e metamorfose entre espécies começaram a bruxulear em minha consciência".
(Por Mike Collett-White)


Proibidos de apresentá-los em seus espetáculos, circos abandonam animais selvagens pelo caminho. Galeria de fotos

Ricardo Westin
O rei dos animais perdeu a majestade. Pelo menos no Brasil. Os leões, outrora a estrela maior dos circos, estão sendo abandonados pelo caminho. Um levantamento recém-concluído do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) revela que existem 68 leões sem teto no País.Um dos últimos abandonos ocorreu no fim do ano passado, quando a polícia recebeu a denúncia de que havia um bando de leões na beira de uma estrada de Uberaba (MG). No lugar de feras, os policiais encontraram cinco melancólicos animais.A rejeição é resultado do surgimento de leis municipais e estaduais que proíbem os animais em circos. Há pelo menos 15 projetos de lei no Congresso para estender a proibição a todo o País.A justificativa está no fato de que a maioria dos circos, sem dinheiro, não oferece tratamento adequado aos animais. Fora dos holofotes, os leões são confinados em pequenas jaulas e a alimentação é insuficiente - a dieta deveria incluir ao menos 6 kg de carne por dia."O pobre do leão só tinha pele e osso. Era raquítico. Sofreu uma infecção e o pêlo todo caiu", lembra Maria do Carmo Brígido, do Ibama do Pará, referindo-se a uma recente ação contra um circo "de última categoria" na região de Belém.Não é raro que domadores serrem os dentes e arranquem as garras dos animais, os queimem ou espanquem. Por fim, os leões acabam abandonados quando ficam velhos ou fracos.Sem emprego, são resgatados por prefeituras e pela polícia. Até que o Ibama lhes dê um abrigo definitivo, ficam em jaulas improvisadas e até em delegacias. Não podem simplesmente ser soltos na natureza, pois, além de perigosos, não fazem parte da fauna brasileira. Restam, então, três opções: mandá-los para zoológicos, entregá-los a criadores particulares ou embarcá-los de volta para a África. Até a hipótese de sacrificá-los já foi cogitada.A Prefeitura de São Francisco do Itabapoana (RJ) ficou meses sem saber o que fazer com um casal de leões descartado por um circo. Acomodados num campo de futebol, viraram atração na cidade. Por fim, o Ibama conseguiu transferi-los para o zôo de Brasília. No entanto, nem todos os zoológicos têm espaço sobrando.Os criadores credenciados também estão no limite. Um deles é o Rancho dos Gnomos, em Cotia (SP). O último dos 13 chegou em dezembro, resgatado no subúrbio do Rio. "Saiu da carreta desesperado. Parecia que queria abraçar a terra", conta Sílvia Pompeu, diretora do Rancho. Ela diz que só consegue manter os animais porque recebe doações.No ano passado, dez leões foram repatriados. O Ibama os enviou a um zôo da África do Sul. Entidades de defesa dos animais suspeitam que estejam mortos hoje, abatidos em campos de caça - fracos, são alvos fáceis.Para evitar a reprodução, o Ibama pretende criar normas que obriguem circos, zoológicos e criadores a fazer vasectomia nos animais. A importação também deve ser proibida. "Já não permitimos a importação, mas não existe marco legal", diz João Moreira Jr., um dos coordenadores de fauna do Ibama.Para a diretora no Brasil da entidade de defesa dos animais WSPA, Elizabeth MacGregor, o ideal é que não haja nenhum leão no País. "Lugar de animal selvagem é no hábitat de origem."Isso, segundo ela, vale também para outros "estrangeiros", como tigres, ursos, lhamas e elefantes.
fonte: http://www.estadao.com.br/

ESSES MERCENÁRIOS TEM QUE SER RESPONSABILIZADOS PELA MANUTENÇÃO DESSES ANIMAIS EM SANTUÁRIOS, UMA VEZ QUE OBTIVERAM LUCROS DURANTE TODA A EXISTÊNCIA DELES ENQUANTO LHES FORAM ÚTEIS.

13 de ago de 2006






















AGORA É A VEZ DE BEIJING PERSEGUIR OS CÃES COM A PROXIMIDADE DA OLIMPÍADA.
VAMOS BOICOTAR OS JOGOS OLIMPÍCOS DE BEIJING(PEQUIM) 2008
Stop dog killings in China due to 2008 Olympics!
291 Signatures
Created by Kan Ching on Jul 07, 2006
Category: Animal Rights
Region: GLOBAL
Description/History:
July 7, 2006 Please help dogs in China!! Especially the "large" dogs---those taller than 35cm in height! The Beijing Government is now launching to arrest dogs just because of the 2008 Beijing Olympic Game. The officers in Beijing thought that the "large" dogs will affect the games! They are going to arrest them and ask the owners to pay ransom, even for dogs with a permit!! (In China, all dogs should have to be registered and the registration fee is very high compared with the income of the Chinese.)The Beijing Government is now arresting the dogs in the capital and will soon spread to all cities in China. All the dogs owners are living in a dreadful atmosphere. Not only the owners of the big dogs, but also small dogs that are already licensed.Please help us to spread news of this tragedy in China to the world, especially the International Olympic office because we do not believe that the Olympic Games must be played over the blood of dogs.We love our babies, these beautiful dogs, and we will fight for them. Please help us and support us.
Petition:
We, the undersigned, petition the Chinese Government to stop "arresting" dogs because of the 2008 Olympic Games.
Sign the petition
The Stop dog killings in China due to 2008 Olympics! petition to International Olympic Comittee was written by Kan Ching. The petition is hosted free of charge at www.gopetition.com. There is no express or implied endorsement of this petition by gopetition.com pty ltd.

11 de ago de 2006

10 de ago de 2006


















COLOQUE-SE NO LUGAR DOS ANIMAIS
Mundo
Quinta, 10 de agosto de 2006, 10h09 Atualizada às 11h13
Ativistas se "embalam" como pedaços de carne na Alemanha


Ativistas da organização de proteção dos animais Peta fizeram mais um de seus protestos inusitados hoje, em Colônia, na Alemanha. Nus, eles foram literalmente embalados como se fossem pedaços de carne.

O mote da campanha é "Coloque-se no lugar dos animais", para alertar as pessoas sobre o consumo de carne ao redor do mundo.


In an antirabies program in Luoping, China, a dog was clubbed to death and thrown into a collection truck.

By HOWARD W. FRENCH
Published: August 10, 2006

THE NEW YORK TIMES

A Chinese Outcry: Doesn’t a Dog Have Rights?

SHANGHAI, Aug. 9 — It was late last month, the boy said, his voice still tinged with emotion, when he and his father were forced to march their two German shepherds to a public square and hang them from a tree.
The boy, Xia Shaoli, was not alone in his pain. Officials in Mouding County in southwestern Yunnan Province had ordered the mass extermination of dogs, pets as well as strays, after three people died in a rabies outbreak. And as a crowd gathered around a large tree in the village of Xiajiashan, owners complied one after another with commands to string their dogs up.
According to official figures, 54,429 dogs were killed during the Yunnan campaign. Reports in the Chinese news media say that some people out walking their dogs had the animals seized by gangs of vigilantes, who clubbed the dogs to death on the spot.
The events in Yunnan have been quickly followed by rabies scares in other parts of China. On Wednesday, the Chinese news media reported the killings of 280 dogs in Wuxi, a city near Shanghai, and 13 in the city of Fuzhou in southern Fujian Province.
Earlier this week, a cluster of 16 villages in the southwestern part of Shandong Province declared a rabies alert, and county officials have drafted a dog extermination plan that would call for the killing of any dog found within a three-mile radius of any known rabies case.
There are half a million dogs in the city of Jining, which encompasses the 16 villages, the official New China News Agency says. Officials there said their extermination plan was scheduled to begin later this month. There have also been reports of smaller extermination schemes in other parts of the country, notably in Sichuan Province.
As remarkable as the killings themselves, however, has been the response. With its rising prosperity, China is developing a pet-owning culture, with dogs standing out as a particular favorite. As word of the killings has spread here, pet owners have begun to mobilize — speaking out online and circulating petitions — to try to stop the killings.
In fact, discussion of the issue has surpassed the bounds of a simple conversation about pets’ rights, with many commentators sharply questioning a system that could order the mass extermination of dogs, whether or not they are licensed and vaccinated. The reaction of groups and individuals, often through the Internet, also provides a striking illustration of the emergence of true public opinion in China, unmediated by the official press or censors.
“This is just another stupid decision by several foolish officials taken in a small room, totally unreflective of the people’s will,” said a comment on Mop, a current affairs forum.
Some drew comparisons with China’s human rights situation. “We don’t have human rights, let alone dog rights,” wrote a commentator going by the name of Kui Kui Xiang Ri, on the Tianya forum. “I’ve seen too much live abuse, let alone abuse of dogs. Anyway, it’s the local emperors who have their say, and we ordinary folks are not much different from dogs in their eyes.”
Chinese humane societies have announced plans to file lawsuits against local governments that mount extermination campaigns. “This kind of thing is just too terrible, too inhumane,” said Huang Juan, a leader of the Abandoned Pets Assistance Center, in Wuhan. “They did it without any real reason, since many of these dogs are vaccinated and cannot spread rabies. But how can you speak reason with these people?”
Another group, the China Small Animal Protection Association, said it would sue. “We are meeting with lawyers the day after tomorrow, and will go to court and bring charges against two local governments,” said Lu Di, the group’s director. “I will not just try to persuade, warn or criticize them — it’s too late for that. We will sue them to make them understand that this is not merely a moral issue, but a crime.”
On Wednesday, the Humane Society of the United States offered $100,000 to China to establish a program to control rabies in Jining, The Associated Press reported.
More broadly, others pointed out that the extermination campaigns contradict the guiding ideology of China’s current leaders, who constantly invoke the need to build a “harmonious society.”
Although the extermination programs are being widely denounced here, there is no doubting that rabies remains a severe problem in China. Nationwide, 961 people died of the disease in the first six months of the year, and last year, 2,545 people died. By contrast, rabies deaths in most Western countries are extremely rare.
Experts say the persistence of the disease reflects the breakdown of the rural health care system, once one of the proudest achievements of Chinese Communism. Many poor rural provinces view canine rabies vaccinations as a costly burden. Meanwhile, an oral vaccine, which is far easier to administer, is not imported, partly because of its cost.
“Many farmers are reluctant to get shots for their dogs, because it’s not always free, whereas the veterinary system at the township level has become very inadequate,” said Luo Tingrong, a rabies expert at Guangxi University. “There isn’t much investment into the system.”
China Plans a Rare-Animal Hunt
BEIJING, Aug. 9 (Reuters) — China plans to auction licenses to foreigners to hunt wild animals, including rare species, a newspaper said on Wednesday.
The government will auction the licenses based on the numbers in each category of animal, ranging from a starting price of $200 for a wolf, the only predator on the list, to as much as $40,000 for a yak, The Beijing Youth Daily said. There are believed to be fewer than 10,000 mature wild yak in the world.
The newspaper said the auction, on Sunday in Chengdu, capital of the southwestern province of Sichuan, would be a first for China.

9 de ago de 2006






















IRONICAMENTE, este é o ano do cachorro na China

matéria publicada no The New York Times
(traduzido p/ portugues)
SHANGAI- China - No fim do mês passado, afirmou um garoto com a vozainda cheia de emoção, ele e seu pai foram forçados a levar seus doispastores alemães a uma praça pública e enforcá-los em uma árvore.
O garoto, Xia Shaoli, não é o único que passa por essa dor. Representantes do sudoeste da província de Yunnan ordenaram o extermínio em massa de cães e animais sem dono, após três pessoas terem falecido de um surto de raiva. E assim como a multidão se reuniu em torno de uma árvore grande na vila de Xiajiashan, os donos dos animais um após o outro levarão seus cães para a morte.
De acordo com dados oficiais, 54.429 foram mortos durante a campanha recente em Yunnan. Relatórios da mídia chinesa afirmaram que algumas pessoas que andavam com seus cães foram atacadas por gangues, que bateram nos cachorros até a morte. Os acontecimentos em Yunnan rapidamente sucederam o medo da raiva em outras partes da China. Na quarta-feira, a mídia chinesa informou o assassinato de 280 cães em Wuxi, uma cidade próxima a Shangai, e 13 nacidade de Fuzhou, no sul da província de Fuzian. Anteriormente nessa semana, um grupo de 16 vilas no sudoeste da província de Shandong declarou alerta à raiva, e os oficiais da província planejaram um extermínio de cães que poderia se aplicar ao assassinato de qualquer cão encontrado em um raio de cinco quilômetros de qualquer caso de raiva conhecido.
Existem meio milhão de cachorros na cidade de Jining, circundam as 16vilas, segundo o representante da agência de notícias New China. Os representantes afirmaram que o plano de extermínio começará no final deste mês. Também houve relatos de esquemas menores de extermínio em outras partes do país, de forma notável na província de Sichuan. Tão memoráveis quanto as mortes por si só, no entanto, são as reaçõesà elas. Com sua prosperidade crescente, a China está desenvolvendo uma cultura de possuir animais de estimação, com os cães como favoritos. Como a matança já se espalhou por todo o país, os proprietários de animais começaram a se mobilizar - expressando-se na Internet e circulando petições - para que tal brutalidade não aconteça mais. De fato, discussões sobre o tema já ultrapassaram os limites das simples conversações sobre os direitos dos animais, com muitos comentaristas questionando fortemente a natureza de um sistema que poderia ordenar o extermínio em massa de cães, sejam eles licenciados e vacinados ou não. A reação de grupos e indivíduos, normalmente através da Internet, também fornece uma ilustração impressionante da emergência da verdadeira opinião pública na China, sem a mediação da imprensa oficial ou da censura."Esta é apenas outra decisão estúpida feitas por poucos idiotas efeita em um sala pequena, que não reflete a totalidade dos desejos daspessoas", escreveu um comentarista no Mop, um fórum sobre assuntos atuais popular na Internet. Alguns fazem comparações com a situação dos direitos humanos na China."Nós não temos direitos humanos, o que dizer dos direitos dos cães",escreveu um comentarista sob o nome de Kui Xiang Ri, no fórum Tianya. "Eu jávi muitos abusos contra a vida, sem falar nos abusos contra cães. De qualquer forma, são os imperadores locais que mandam, e nós, cidadãos comuns, não somos muito diferentes dos cachorros aos olhos deles".
Sociedades humanitárias chinesas anunciaram planos para arquivar ações judiciais contra governos locais que montam campanhas de exterminação."Esse tipo de coisa é simplesmente terrível e desumana", afirmou HuangJuan, líder de um centro de assistência a animais abandonados em Wuhan."Eles fizeram isso sem nenhum motivo real, dado que muitos desses cães sãovacinados e não podem passar a raiva. Mas como falar sobre motivos com essas pessoas? "Outro grupo de proteção aos animais afirmou que planejava começar um processo. "Nós nos reuniremos com advogados depois de amanhã, e iremos à corte para processar dois governos locais", afirmou Lu Di, diretor do grupo."Eu não tentarei persuadir, alertar ou criticá-los - é tarde para isso. Nós iremos processá-los para que eles entendam que isso não é meramente uma questão moral. É um crime".






















BOICOTE TOTAL À CHINA
A MORTE DE 500 MIL CÃES POR TOTAL INCOMPETÊNCIA DOS GOVERNANTES DAQUELE PAÍS, NÃO PODE FICAR IMPUNE. PENSE MUITO ANTES DE COMPRAR QUALQUER PRODUTO DA CHINA ADQUIRINDO QUALQUER PRODUTO DAQUELE PAÍS, VOCÊ ESTARÁ FORTALECENDO A NAÇÃO QUE NÃO TEM O MÍNIMO DE COMPAIXÃO PELOS ANIMAIS. SÓ O BOICOTE TOTAL PODERÁ FAZER COM QUE ELES MUDEM A MANEIRA COMO TRATAM OS ANIMAIS. ESTÁ NA HORA DE VÔCE COMEÇAR A PRESTAR ATENÇÃO NAS ETIQUETAS E BOICOTAR TUDO QUE VIER DAQUELE PAÍS.
MEXA-SE, PROTESTE
BOICOTE O PRODUTO CHINÊS
BOICOTE A OLIMPÍADA DE PEQUIM
BOICOTE A CHINA.

ESCREVA PROTESTANDO PARA
2008@beijing-olympic.org.cn

Ambassador: Chen Duqing Address: Q813, LOTE51, AV. OF NATIONS, BRASILIA-DF, BRAZIL Website: http://www.embchina.org.br http://br.china-embassy.org http://br.chineseembassy.orgPostal Code: 70443-900 Tel: 0055-61-21958200 Fax: 0055-61-3463299
E-mail: chinaemb_br@mfa.gov.cn


04/08/2006 - 06h44China ordena sacrifício de até 500 mil cães
da BBC, em Londres

As autoridades chinesas lançaram nesta semana uma segunda onda de sacrifício em massa de cães para tentar conter um surto de raiva.Segundo dados oficiais, 16 pessoas já teriam morrido em conseqüência da doença neste ano na província de Shandong, ao leste do país.Segundo as autoridades, serão abatidos todos os cachorros em um raio de cinco quilômetros das 16 vilas onde os casos de raiva foram detectados, sugerindo que até 500 mil cães podem estar ameaçados.A ordem ocorre apenas dias após 50 mil cachorros terem sido mortos no sudoeste do país em resposta ao surto de raiva.CríticasO sacrifício em massa de cães gerou fortes críticas por parte de grupos ativistas pelos direitos dos animais.O grupo Peta (Pessoas pelo Tratamento Ético de Animais) pediu um boicote de produtos chineses.Correspondentes dizem que a China tem um histórico pobre em relação a proteção de animais e que não existem leis para coibir crueldade contra animais de estimação.A matança anterior, no condado de Mouding, foi ordenada após a morte de três pessoas por raiva, incluindo uma menina de 4 anos.Durante cinco dias, os cachorros foram mortos a pauladas nas ruas em frente aos seus donos. Outros donos mataram seus próprios animais, por meio de envenenamento ou choques elétricos. A raiva é uma doença passada por animais contaminados com o vírus da doença. Ela ataca o cérebro e pode ser fatal, mas a doença pode ser prevenida por meio de vacinação.
PARECE QUE A CHINA AINDA NÃO SABE !!!

8 de ago de 2006










2008@beijing-olympic.org.cn

MASSACRE IN CHINA


The killing of 54,000 dogs in Mouding County has shocked the world. Cruelty to animals is not unique to China. It exists everywhere, even here in the United States. But nothing, nothing compares to the violence against animals in the People’s Republic of China.
Last year CNN (Larry King Live) aired footage documenting the strangulation, drowning and skinning alive of dogs and cats in China, two million of which are brutally killed every year for their fur which is sold around the world. Bear bile farming has imprisoned and tortured hundreds of bears for years. And now we learn of the on-going massacre of thousands of people’s pets, even 4,000 dogs already vaccinated against rabies (Los Angeles Times, August 4, 2006).
I understand China’s concern of a rabies outbreak. But couldn’t the dogs be quarantined and given rabies vaccinations instead of this wholesale carnage? If, however, these dogs must be killed, why are they beaten and strangled in such a brutal, long-suffering manner, when humane euthanasia is available? According to the Los Angeles Times report, dogs were taken from their owners and beaten to death in front of them. One family chose to hang their dog themselves and then ate the dog for supper.
I know that we have different cultures but this is so very difficult to understand.
Are there no laws in China concerning cruelty to animals? Are there any animal groups and/or individuals in China who are working to end this horrific tragedy? Do the citizens of the People’s Republic of China care about the suffering of animals? ("The question is not, can they reason? Nor, can they talk? But can they suffer?")
It’s the suffering of these dogs that haunts me most of all. I don’t want to believe that China’s citizens are barbaric. I sincerely want to understand.
Bill Dyer
In Defense of Animals


AUGUST 27, 2006 11:00 a.m.
Save this date to attend a major demonstration against the massacre of more than 54,000 dogs in China in a brutal attempt to stem the spread of rabies to humans.
Security officials are stopping people who are walking their dogs and beating the animals to death with clubs in front of them. Other dogs are being poisoned or killed by hanging and electrocution.
We will also demonstrate to educate the public about the horrific companion animal fur trade in China and asking them to boycott the Beijing Olympics and all products that are Made in China.
When: Sunday, August 27, 2006 11:00 a.m.
Where: Gateway to Chinatown
600 North Broadway at Cesar Chavez
Parking at Location: $5.00
For additional information, please contact Bill Dyer at http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=Bill@idausa.org
or 310-301-7730

7 de ago de 2006








Barbárie.......
Caos...........
Supressão de direitos fundamentais........


Essas são algumas das formas pelas quais gostaríamos de nos manifestar sobre o episódio divulgado, no qual foi confirmado que uma província da China ordenou a MATANÇA de incontáveis animais domésticos... .

E tudo isso, protegido pelo manto da "soberania", que faz com que nossas leis protetivas não possam ser aplicadas lá! Às organizações nacionais como a nossa cabem a manifestação e encaminhamento a âmbito mundial de nosso sentimento de repúdio, convocando os protetores a refletir sobre um problema que é maior do que transparece!!!

A raiva, amigos protetores, é facilmente evitada com a simples aplicação de vacina que impede a manifestação ou surgimento da doença. Isso sim é agir inteligentemente: PREVENIR! É por essa razão dentre outras razões que continuamos a sustentar que a solução aos problemas de abandono é a esterilização em massa de animais.

O que mais nos entristece não é a mera notícia veiculada, mas sim saber que há poucos meses, foram realizadas passeatas públicas no mundo inteiro, com participação da AILA, contra a utilização de peles, fato este comum na China. Isso ensejou inclusive reuniões com representantes do país a fim de serem entregues cartas públicas repudiando o fato e demonstrando o que se objetivava com a manifestação.

Todavia, eis o resultado........ nada foi feito no país naquele momento, o assunto deu-se por encerrado, o "festival de peles" na China continua com a eliminação maciça de animais silvestres e agora temos mais essa notícia dos cães trucidados nas ruas, a base de pauladas e marretadas.

Será este um país que merece respeito ou oportunidades em nosso país? O tal "gigante crescente" não passaria de um mero país superpopuloso que explora crianças e animais, reprimindo todas as proteções, sejam a título de direitos fundamentais de seus cidadãos e do meio ambiente, tudo em conta do LUCRO?

Pensem a respeito disso quando depararem-se com o comum dilema urbano: o produto X custa R$ 100, mas o Y, proveniente da China, custa R$ 10. Se vocês analisarem para onde vão esses R$ 10, hão de cogitar que o ficanciamento dos instrumentos utilizados na matança dos cães foi indiretamente aquele sobre o qual você "economizou" seu dinheiro.

Pouco nos importa que o fato ocorreu em mera província da China, pois tal espelha a linha de conduta do país e nada foi feito pelos governantes locais e nacionais para obstar a política adotada. Diante de tal, perdem credibilidade desde já as palavras, gestos e promessas do governo chinês a nós, já que ficou mais do que evidente que o respeito às pessoas e aos animais é algo a ser aprendido pelo Governo chinês. E infelizmente, sabemos que a cultura milenar oriental não defende essas políticas bárbaras, sendo verdadeira OPÇÃO do governo chinês promover isso!

Repensemos sim o que consideramos como certo e errado na hora de comprar e a procedência de produtos, pois não bastasse a contradição do crescimento ignorante adotado pela China, não nos juntemos a essa aberração: proteger aqui os animais, custeando a matança fora de nossos olhos!

Lastimável, para não se dizer sofrível no que cremos ser o atual estágio da evolução humana. (ou ao menos, a parte dela)!


ALIANÇA INTERNACIONAL DO ANIMAL

http://www.aila.org.br/

5 de ago de 2006











ALERT: BRUTAL DOG CULLING IN CHINA
The rabies outbreak in China could have been prevented by anti-rabies vaccination program which I am sure would have been provided by animal groups throughout the world if asked, not to mention help from the World Health Organization. More than 500,000 dogs may end up brutally killed in China. Please don't let man's best friend be brutally killed without one word of support. Write a letter today! Scroll down to find out what is happening.

PORTUGUESE: A epidemia da doenca rabica na China poderia ter sido evitada com um programa de vacinacao, o qual com certeza poderia ter recebido ajuda de grupos animais mundo afora, caso a China houvesse pedido, isso sem falar de ajudas da Organização Mundial da Saude. Mais de 500 mil caes poderao ser cruelmente mortos. Por favor não deixe o melhor amigo do homem ser morto tao brutalmente sem uma palavra nossa. Escreva uma carta hoje! Abaixo ha um modelo pronto se preferir.

SPANISH: A epidemia de la rabia en China se habría podido prevenir por vacunacion la cuál sin duda habría sido proporcionado por los grupos animales a través del mundo si estuvo pedido, no mencionar ayuda de la Organización Mundial de la Salud. No deje por favor lo mejor amigo del hombre ser matado brutal sin una palabra suya. ¡Escriba una carta hoy! Enrolle abajo para encontrar una muestra de carta.


LETTER TO CHINESE AUTHORITIES & NEWSPAPERS.

Dear sir/madam,
I understand that the stray dog population is a cause for concern, and it does pose a threat of rabies. But countries all over the planet face this problem and yet they are successfully dealing with the situation without employing men to beat dogs to death. China needs a viable rabies vaccination program, as well as one minimum of consideration for its citizens as family members watch in horror the brutality used to kill their pets.

Apart from the ongoing issue of dogs and cats being brutally killed for fur, China has a human and animal health problem which could have easily been brought under control if China did not try to hide it from the world which is eager to help.

Spay and neuter programs where the animals are returned to the streets are a humane and efficient solution. If you find it dishonorable to ask for help from other countries or even animal groups to help you deal with such a situation, do you find it more honorable that the world thinks of China as a country of savages? This is precisely how the world see you now, and however insignificant you may think a boycott of Chinese products is at the moment, soon it will become greater than what you expect as groups continue to ally themselves against China and Chinese products.

You can no longer commit such massacres and pretend to the world that nothing happened! Your country's treatment of its animals is attracting as much attention in the West as its record on human rights.
Your nameCity, Country

Dog cull in China to fight rabies
http://news.bbc.co.uk/2/hi/asia-pacific/5233704.stm
Chinese county culls 50,000 dogs in crackdown on rabies http://www.guardian.co.uk/china/story/0,,1835329,00.html
Chinese county massacres 50,000 dogs in campaign against rabies
http://www.usatoday.com/news/health/2006-08-01-china-dogs_x.htm
Yunnan Dog Massacre, July 2006
http://www.animalsasia.org/index.php?module=3&menupos=10&submenupos=1&lg=en
China’s Culture of Cruelty
http://www.peta.org/feat-china.asp
Up to half million dogs may be brutally killed in China http://news.yahoo.com/s/afp/20060804/hl_afp/chinaanimalhealth
CHINESE GOVERNMENT CONTACTS
Chinese Government’s Official Web Portal: english@mail.gov.cn
National Government: govonline@chinascape.cn.net
Supreme People’s Procuratorate of China: webmaster@spp.gov.cn
Xinhua News Agency: xhszbs@xinhuanet.com
China Internet Information Center [the authorized government portal site to China]24 Baiwanzhuang RoadBeijing 100037, Chinaph: 86-10-68996217; fax: 86-10-68997796
email: http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=wandi@china.org.cn, webmaster@china.org.cn
web email feedback: http://service.china.org.cn/link/wcm/comments_e
SOURCE URL: http://www.china.org.cn/english/index.htm
The National People's Congress (NPC) of the People's Republic of ChinaWu Bangguo, Chairman of the Standing Committee of the 10th National People's Congress of the People's Republic of ChinaNo. 23, XijiaominxiangXicheng District, Beijing 100805The People's Republic of China
email: english@npc.gov.cn
SOURCE URL: http://www.npc.gov.cn/zgrdw/english/home/contactUs.jsp
Ministry of Foreign Affairs Of The People’s Republic Of ChinaMr. Li Zhaoxing, Minister of Foreign AffairsNo. 2, Chaoyangmen NandajieChaoyang District, Beijing, 100701
ph: 86-10-65961114; email: webmaster@mfa.gov.cn
SOURCE URL: http://www.fmprc.gov.cn/eng/
Ministry of Education, People’s Republic of China: http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=emic@moe.edu.cn
Ministry of Agriculture, People’s Republic of China: http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=webmaster@agri.gov.cn
Ministry of Health, People's Republic of Chinaemail: http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=zxc@szhealth.gov.cn, http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=manage@chsi.moh.gov.cn, http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=manage@moh.gov.cn SOURCE URL: http://www.moh.gov.cn/
Ministry of Culture of the People's Republic of China 15 Huixin Dongjie, Chaoyang DistrictBeijing 100025, Chinaph: (8610) 6494 1107; email: http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=szw@ccnt.gov.cn, http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=chinaculture@chinadaily.com.cnwebsite: http://www.chinaculture.org/
China National Tourism Administration9A Jianguomennei Ave., Beijing 100740, Chinaph: (0086-10) 65201114; fax: (0086-10) 65122096email: http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=xhzhang@cnta.gov.cn, http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=webmaster@cnta.gov.cn website: http://www.cnta.com/
CHINA NATIONAL TOURIST OFFICES IN OTHER COUNTRIES: http://www.cnta.gov.cn/lyen/contact/contact.htm
REGIONAL GOVERNMENT CONTACTSGuangxi Government: http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=gzbtx@gxzf.gov.cn
Chuxiong, Mouding County in the Province of Yunnan, Chinahttp://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=webmaster@ynnic.gov.cn SOURCE URL: http://www.eng.yn.gov.cn/
Governor of Yunnan Province, Xu RongkaiGovernment office address: Wuhuashan, Kunmingph: 0871-362 1773SOURCE URL: http://www.china.org.cn/english/features/ProvinceView/156484.htm
Press Division of Foreign Affairs Office of Yunnan Provinceph: 0871-5311095; fax: 0871-5311987International Press Center (IPC)ph: (010) 6588-2585, 6588-2586; fax: (010) 6588-2594email: http://br.f347.mail.yahoo.com/ym/Compose?To=ipc@fmprc.gov.cn












NENHUM VEREADOR ESTEVE PRESENTE NA AUDIÊNCIA. COMO PODERÃO VOTAR A FAVOR DA DERRUBADA DO VETO DO PREFEITO CÉSAR MAIA SE NÃO CONHECEM A VERDADEIRA FACE DA EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL?

AGRADECENDO A TODOS E PEDINDO QUE DIVULGUEM OS NOSSOS TRABALHOS DO DIA 3,

A AUDIÊNCIA PÚBLICA DE 3 DE AGOSTO, REALIZADA NO PLENÁRIO DA CÂMARA DOS VEREADORES DO RIO DE JANEIRO, CONTINUANDO A NOSSA LUTA COMUM PELA DERRUBADA DO VETO DO PREFEITO CESAR MAIA À MINHA LEI - APROVADA - QUE PROIBE A VIVISSECÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL,
FOI UM ACONTECIMENTO HISTÓRICO: O PLENÁRIO DA CÂMARA LOTADO COM ATIVISTAS DA CAUSA ANIMAL E ALGUNS AMIGOS DOS ANIMAIS QUE NUNCA TINHAM TIDO A OPORTUNIDADE DE LEVANTAR O " MANTO DA IMPERATRIZ NUA " .

EXIBIMOS NA ÍNTEGRA O " NÃO MATARÁS ", O CAPÍTULO DO " EARTHLINGS " SOBRE VIVISSECÇÃO E PARTE DO " ANIMAUX COBAYES " , DA FONDATION BRIGITTE BARDOT.

NUNCA ANTES A CÂMARA DOS VEREADORES ESTEVE , DESDE ÀS 18 H. - NUMA QUINTA-FEIRA, NO VIOLENTO RIO DE JANEIRO - ATÉ ÀS 22.30 , LOTADA COM PÚBLICO TÃO FERVOROSO E MOTIVADO QUE LÁ AINDA TERIA PERMANECIDO POR MAIS TEMPO , NÃO FOSSEM AS REGRAS DA CASA .

LAMENTAVELMENTE NÃO TIVEMOS A PRESENÇA DE UM ÚNICO VEREADOR.

SE OS EDÍS CARIOCAS MANTIVEREM O VETO E REJEITAREM A LEI, ESTARÃO LEGISLANDO DE OLHOS FECHADOS.

TALVEZ SE CONTINUAREM A RECEBER MENSAGENS, INCLUSIVE SENDO APONTADA A AUSÊNCIA, POR UMA SEGUNDA VEZ, AINDA HAJA TEMPO DE ORGANIZAR OUTRA EXIBIÇÃO A QUE COMPAREÇAM. AOS DEPOIMENTOS DOS CIENTISTAS - PRESTADOS NA AUDIÊNCIA ANTERIOR - PODERÃO TER ACESSO ATRAVÉS DOS DVDS . MAS É IMPRESCINDÍVEL QUE ASSISTAM AOS DOCUMENTÁRIOS..

COMO PODERÃO VOTAR SE NÃO CONHECEM O OUTRO LADO ?

ABRAÇOS

CLAUDIO CAVALCANTI


PERGUNTEM AOS VEREADORES AONDE ELES ESTAVAM?

cerruti@camara.rj.gov.br ;
afreitas@camara.rj.gov.br ;
andrea.vieira@camara.rj.gov.br ;
argemiro@camara.rj.gov.br ;
aspasia.camargo@camara.rj.gov.br ;
brizolaneto@camara.rj.gov.br ;
carlo.caiado@camara.rj.gov.br ;
carlosbolsonaro@camara.rj.gov.br ;
chiquinho.brazao@camara.rj.gov.br ;
cavalcan@camara.rj.gov.br ;
cristiane.brasil@camara.rj.gov.br ;
dionisio.lins@camara.rj.gov.br ;
adilson.soares@camara.rj.gov.br ;
dr.carloseduardo@camara.rj.gov.br ;
doutorjairinho@camara.rj.gov.br ;
esantos@camara.rj.gov.br ;
eliomar@camara.rj.gov.br ;
gusmao@camara.rj.gov.br ;
laguarana@uol.com.br ;
indiodacosta@camara.rj.gov.br ;
ivanmoreira@camara.rj.gov.br ;
jerominho@camara.rj.gov.br ;
joaocabral@camara.rj.gov.br ;
jorge.felippe@camara.rj.gov.br ;
jmauro@camara.rj.gov.br ;
jpereira@camara.rj.gov.br ;
jorge.silva@camara.rj.gov.br ;
leila@camara.rj.gov.br ;
liliamsa@camara.rj.gov.br ;
lucinha@camara.rj.gov.br ;
lcramos@camara.rj.gov.br ;
marcelin@camara.rj.gov.br ;
marcio.pacheco@camara.rj.gov.br ;
nadinhoderiodaspedras@camara.rj.gov.br ;
nereide.pedregal@camara.rj.gov.br ;
pastoramarciateixeira@camara.rj.gov.br ;
patricia.amorim@camara.rj.gov.br ;
paulocerri@camara.rj.gov.br ;
renato.moura@camara.rj.gov.br ;
rogerio.bittar@camara.rj.gov.br ;
rubens_andrade@camara.rj.gov.br ;
sferraz@camara.rj.gov.br ;
sami@camara.rj.gov.br ;
silviapontes25025@camara.rj.gov.br ;
stepan.nercessian@camara.rj.gov.br ;
suely.silva@camara.rj.gov.br ;
teresa.bergher@camara.rj.gov.br ;
theosilva@camara.rj.gov.br ;
vcosta@camara.rj.gov.br ;
soniagd@openlink.com.br

4 de ago de 2006















INFERNO CHAMADO CHINA
HOLOCAUSTO DOS ANIMAIS
DE 50 MIL PARA 500 MIL
MALDITOS!!!

China ordena sacrifício de até 500 mil cães

Muitos cães foram mortos a pauladas na frente de seus donos
As autoridades chinesas lançaram nesta semana uma segunda onda de sacrifício em massa de cães para tentar conter um surto de raiva.
Segundo dados oficiais, 16 pessoas já teriam morrido em conseqüência da doença neste ano na província de Shandong, ao leste do país.
Segundo as autoridades, serão abatidos todos os cachorros em um raio de cinco quilômetros das 16 vilas onde os casos de raiva foram detectados, sugerindo que até 500 mil cães podem estar ameaçados.
A ordem ocorre apenas dias após 50 mil cachorros terem sido mortos no sudoeste do país em resposta ao surto de raiva.
Críticas
O sacrifício em massa de cães gerou fortes críticas por parte de grupos ativistas pelos direitos dos animais.
O grupo Peta (Pessoas pelo Tratamento Ético de Animais) pediu um boicote de produtos chineses.
Correspondentes dizem que a China tem um histórico pobre em relação a proteção de animais e que não existem leis para coibir crueldade contra animais de estimação.
A matança anterior, no condado de Mouding, foi ordenada após a morte de três pessoas por raiva, incluindo uma menina de 4 anos.
Durante cinco dias, os cachorros foram mortos a pauladas nas ruas em frente aos seus donos. Outros donos mataram seus próprios animais, por meio de envenenamento ou choques elétricos.
A raiva é uma doença passada por animais contaminados com o vírus da doença. Ela ataca o cérebro e pode ser fatal, mas a doença pode ser prevenida por meio de vacinação.

3 de ago de 2006











SÓ MESMO UM IDIOTA PARA ACHAR GRAÇA NISSO!

BOICOTE CIRCO COM ANIMAIS

NÃO COLABORE COM ESTA CRUELDADE

ANIMAIS NASCERAM PARA SER LIVRES, ASSIM COMO VOCÊ













MALDITOS DO INFERNO!!!
AP
11:13 02/08
Cerca de 50 mil cães foram massacrados nos últimos cinco dias em uma província chinesa por causa de um surto de raiva canina na cidade. A matança poupou apenas os cães das unidades militares e os cachorros treinados pela polícia.
Leia abaixo o texto
Os cachorros foram mortos a pauladas no meio da rua e os policiais encarregados da tarefa não faziam distinção entre cães saudáveis ou raivosos. Segundo o jornal Shangai Daily, os animais eram tirados das mãos do dono e espancados na rua.
Liderados pelo chefe da polícia local, outros "esquadrões da morte" entraram em vilas durante a noite fazendo barulho para que os cães latissem. Quando os animais eram identificados, os policiais pulavam os muros e matavam os cachorroso no quintal das casas.
O governo ofereceu 5 yuan (cerca de R$ 1,20) por animal para que o dono matasse o próprio cachorro, antes que o "esquadrão da morte" agisse. "Com o objetivo de deixar a raiva longe das pessoas, decidimos matar os cachorros", afirmou Li Haibo, porta-voz do governo da província.