26 de jul de 2006



Reuters - Mundo
Quarta, 26 de julho de 2006, 09h48 Atualizada às 09h51
Sul Coreanos protestam contra consumo da carne de cães


Um grupo de pessoas realizou um protesto nesta terça-feira contra o sacrifício de cachorros, em Seul, na Coréia do Sul, onde é comum se comer a carne do animal.

ATÉ NA CORÉIA DO SUL TEM GENTE QUE NÃO CONCORDA COM O TRATAMENTO DISPENSADO AOS ANIMAIS.

5 comentários:

Mancholas disse...

Graças a Deus!!!!! E cada vez mais as pessoas estao a abrir os olhos. Que o povo asiatico tem requintes de malvadez, ja todoa as pessoas sabem. E so ver o que fizeram aos americanos ma guerra do vietnam. Se fazem isso a humanos, mais facil sera fazer a quem nao consegue falar e defender-se: os animais.

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Very best site. Keep working. Will return in the near future.
»

Anônimo disse...

Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»

Anti-China disse...

Voces sabiam que o Massacre de Nanquim ("O Estupro de Nanquim: O Holocausto de Nanquim"), foi tudo inventado?

20 dias antes da queda de Nanquim, a população da cidade estava em 200.000, de acordo com europeus e americanos que estavam lá naquele tempo. Oito dias depois da queda ainda restavam 200.000. Ninguém indicou uma vasta diminuição da população devido a suposta matança ocorrido. Confrontado estes fatos, como pode qualquer um reivindicar que 300.000 chineses foram assassinados em Nanking?


Foram feitos os primeiros estudos detalhados das 143 fotografias oferecidas como evidência “do Massacre de Nanquim.” Após verificar aproximadamente 30.000 fotografias (antes e depois da captação japonesa de Nanquim), foi descoberto que cada uma das fotografias do massacre publicadas em 1937-8 são Falsificações. Todas as fotografias são montagens, encenados, ou substituídos por falsas. Nenhuma delas é prova de um massacre em Nanquim.

Pra quem estiver interessado, visite o site: http://www.ne.jp/asahi/unko/tamezou/nankin/fiction/index.html, o site desmascara as mentiras do Massacre de Nanquim.