12 de jun de 2006















STANKOWICH SUBORNA CRIANÇAS

Relato da manifestação do dia 11 de Junho de 2006 contra o uso de animais no Circo Stankowich.
Hoje, dia 11 de Junho de 2006, foi organizada a segunda manifestação em Belo Horizonte contra o uso de animais pelo Circo Stankowich. O coletivo Gato Negro, Núcleo Libertação Animal, responsável pelo chamado da manifestação contactou a imprensa e órgãos responsáveis pela proteção animal. O ato começou às 15hs em frente ao Circo Stankowich, localizado na Avenida dos Andradas, 3000, Bairro Santa Efigênia. O objetivo da manifestação era informar as pessoas e pressionar o Circo para a abolição do uso de animais em seus espetáculos. O coletivo foi preparado com comissões, dividindo não-hierarquicamente as tarefas de mídia e defesa legal, pois na manifestação anterior houve represália dos próprios funcionários do circo, com agressões físicas, ameaças, destruição de uma filmadora e material de divulgação. Logo na chegada, os manifestantes, que somavam por volta de 50 pessoas, foram surpreendidos por um grupo de crianças e alguns adolescentes moradores da vila próxima, que portavam cartazes pró-circo com animais. Frases como "Circo legal é com animal", "Circo procria animais", "Temos veterinário" estavam sendo expostas em cartazes, todos padronizados, provavelmente produzidos pelo próprio Circo Stankowich. Segundo Emanuela Eurides da Conceição Guerra, moradora da vila próxima, ao procurar emprego temporário no Circo teve a resposta de que "o circo não queria favelado para trabalho de panfletagem". Porém, segundo Emaunuela, o Circo ofereceu vários ingressos para que crianças ficassem contra a manifestação. "Eu conheço todos que estão alí", apontou Emanuela. O clima ficou tenso, pois os jovens se exaltaram contra a manifestação e rasgaram cartazes, jogaram pedras, fizeram ameaças e ainda correram o risco de serem atropeladas na Avenida dos Andradas. O filho de um manifestante e um repórter foram atingidos pelas pedras, mas passam bem. As provocações não pararam aí, alguns cães da vila foram pegos pelas crianças e jogados para cima com objetivo de chamar a atenção. Apesar do tumulto, o ato continuou, com a distribuição de panfletos, exposição de faixas com frases como "Circo legal não tem animal", "Libertação Animal é Libertação Humana", "O circo não é seguro para as crianças", palavras de ordem e ação no sinal de trânsito próximo ao Circo. Várias pessoas desistiram de assistir o "espetáculo" e algumas até se juntaram à manifestação. Mesmo as que entraram, observaram com atenção as palavras de ordem e a movimentação. A mídia corporativa esteve presente, representada pelo Jornal Estado de Minas e um jornalista freelancer da Rede Globo. A Polícia Militar chegou alguns minutos após o ínicio da manifestação e o clima se abrandou. Houve presença da Polícia Ambiental, que fez uma vistoria e alegou que "os documentos estavam em dia" e "os animais estavam bem tratados". Infelizmente, sabemos que esta não é a realidade, pois animais selvagens não obedecem os humanos naturalmente. Em sua história, o Circo Stankowich já abandonadou três felinos numa praça pública em Sumaré e deixou dois tigres siberianos, em extinção, morrerem por falta de cuidados especiais no frio de Campos do Jordão. Fotos dos animais enjaulados e amarrados também estão disponíveis na internet. O Circo Stankowich supreendeu mais uma vez: na primeira manifestação, no dia 13 de Maio, com violência dos próprios funcionários; desta vez manipulando a inocência de crianças e adolescentes de uma vila pobre. A família Stankowich prova novamente que o poder financeiro está acima da ética e do respeito por animais, sejam eles humanos ou não-humanos. -- GATO NEGRO Núcleo Libertação Animal Assessoria de Imprensa

5 comentários:

Anônimo disse...

meu Deus...onde vamos parar? O Homem não tem respeito nem por si próprio....quanto mais por animais...que são tão maravilhosos...puros...

Anônimo disse...

Vcs falaram do poder financeiro desses circos.... Onde?
Hoje, todos os circos, de modo geral, passam por uma crise financeira. é irreal pensar isso.
E outra, toda a manifestação tem crianças, e o fato de serem ou não pertencentes a uma comunidade, não quer dizer nada.
O problema é.... conscientizem.
Por que não vão até a favela, escolas e outros lugares, a fim de ensinar essas crianças sobre a crueldade praticada contra os animais. Agora, quando entrarem na favela, lembre-se, ali tem gente, que preferia ser escravizado e enjaulado da forma como muitos animais de circo estão do que viverem em condições sub humanas como algumas crianças de favela vivem....ok???????
E essas sim, fazem diferença pro nosso futuro também.

Anônimo disse...

Eu sou a favor de animais em Circo. Pelo menos, nos circos que eu conheço onde são bem tratados e nao ridicularizados. São usados como parte do espetaculo, e sao muito bem tratados. Tem equipes de veterinarios, lugares bem amplos e nao jaulas para viverem pois os Circos que conheço nao sao itinerantes.
Agora, circos itinerantes, realmente devem ter menos espaços... mas as pessoas vivem em trailers também....
qual a diferença?
O radicalismo é algo assustador.
Ah... e ser vegetariano, não demonstra que nao amamos animais. E sim, que é uma questão da lei do mundo, lei da sobrevivência, do ciclo natural da vida. ok?

Anônimo disse...

Your website has a useful information for beginners like me.
»

Anônimo disse...

I find some information here.